SEGUI DBS GORDAO O CHEFE NO TWITTER CONCORRA PREMIOS

sexta-feira, 29 de maio de 2009

SHOW DE UBERABA GRANDE SUCESSO CASA CHEIA DBS NEGOO

FOI MUITA TRETA GORDÃO NO PALCO DEMOSTRA PORQUE É APONTADO COMO MAIO NOME DANOVA GERAÇÃO DO RAP DBS E A QUADRILHA









O SHOW

sexta-feira, 8 de maio de 2009

DBS E MG UBERABA TOUR O CLÃ PROSSEGUE CHEGA A UBERABA

DBS E MG UBERABA TOUR O CLÃ PROSSEGUE CHEGA A
UBERABA (DBS e a Quadrilha)


O GORDÃO DA OESTE CHEGA COM SUA TOUR A UBERABA MINAS GERAIS OS INGRESSO JA ESGOTANDO , E CONFIRMAÇÃO DA PRESENÇA DE MAIS DE 10 CIDADE A REDOR

VAI SER DOIS GRANDE SHOW DBS E A QUADRILHA E RZO VAI ESTRALA NEGOOOOOOOOOOOOOO

a Rule responde perguntas de MCs Brasileiros


a Rule responde perguntas de MCs Brasileiros.... MANICOMIO GRUOP GOSTOU DA PERGUNTA E COMO RAP COLOCOU SUA VISÃO QUE POR MAIS QUE PAREÇA CONTRADITORIO NA CABEÇA DE ALGUNS UM COISA É REAL SEM COMPROMISSO E ORGANIZAÇÃO NEM OS MAIS LEGITIMOS DOS MOVINMENTO SOBREVIVE , NOSSO COMPROMISSO É VER O HIP HOP NACIONAL EM UM NOVO NIVEL ANEXO O FOTO DO CLIP NOVO DE WANESSA CAMARGO COM RAP ....



Rapper Ja Rule diz que hip hop brasileiro tem que aprender com o americano

Publicada em 08/07/2008 às 09h02m


RIO - Ja Rule é nitroglicerina. Já foi preso por agredir o arquiinimigo 50Cent (de quem é obrigado a manter distância por ordem judicial) e encontrado com armas ilegais e drogas. Nos clipes, faz o estilo bandidão, cercado por gostosas e carrões, o que lhe rende críticas por superficialidade e alienação. Ano passado, foi acusado de homofobia e alvo de ataques de grupos LGBT, depois de dizer que proíbe os filhos de assistir a programas na TV que "promovam a homossexualidade". Com 25 milhões de discos vendidos no currículo, ele está no país pela quinta vez - terceira em turnê - e, no Rio, só fará um show: na Rocinha, domingo, às 19h, na Arena da Curva do S, para 12 mil pessoas (ingressos, no primeiro lote, a R$ 30; no segundo, a R$ 35). Mais uma excentricidade na carreira de um cara sem maiores preocupações além de ganhar dinheiro? Ou verdadeiro desejo de levar sua arte até a favela? Para descobrir isso e mais sobre Ja Rule, a ''Megazine'' convidou rappers do Rio e de São Paulo para fazer perguntas a ele. No melhor estilo hip hop, sem papas na língua. Confira como ele reagiu à pressão.

MC MARECHAL: Qual é o intuito desse show? Por que tocar onde moram pretos e pobres, na favela? Foi politicagem de produtores ou a sua consciência hip hop?
- Eu amo tocar para a minha gente. Não ligo para quem tem dinheiro ou não, quero estar entre os meus. Eu quis fazer esse show por isso, achei a idéia ótima. A gente tem que ganhar dinheiro, mas também tem que dar algo em retorno, entende?

MC MACARRÃO: Por que o rap nos EUA deixou de ser contestador para ser algo vazio, que só fala de mulher, carro e dinheiro? Toda mulher é piranha, e o cara tem que ser ricaço. O que houve?
- Dinheiro. Sabe do que mais? Para que vou ficar lutando contra o governo, contra este ou aquele? Sabe quando eu vou ganhar? Nunca. Em vez de lutar, eu ganho dinheiro deles. Sexo vende. É só assistir à TV no Brasil. O que se vê? Bunda, peito. E o funk do Rio, o que é? De que $@#% você está falando? O que eu poderia fazer? Ficar detonando o Bush? "Maldito Bush, filho da %$@#"? Ninguém liga, as pessoas só querem relaxar, elas elegeram o Bush duas vezes! Que se #@%$, tenho que cuidar é de mim!

NEGA GIZZA: O que você espera atingir com suas letras?
- As pessoas não querem ouvir falar de política, querem músicas que as façam mexer o traseiro, dançar, relaxar. Se eu encontrar um MC brasileiro, vou dizer: aonde você que chegar? Não dá para ficar sentado vendo a vida passar, fazendo protesto. É preciso pagar as contas, dar comida aos filhos.

MC FUNKERO: O que conhece do hip hop brasileiro?
- Conheço o Fadz, que me trouxe para cá. Mora em Nova York, mas é brasileiro, canta em inglês e português. Também tem um cara que ouvi, o MC Diego. O hip hop no Brasil não é tão grande, mas estamos aí para ajudar a rolar.

" JA RULE: "As pessoas não querem ouvir falar de política, querem músicas que as façam mexer o traseiro" "

--------------------------------------------------------------------------------

MC FUNKERO: Li algo sobre uma suposta origem brasileira sua. É verdade isso?
- Não, cara, não tenho nenhuma ligação de sangue com o Brasil. Nasci no Queens. Nova York, baby, Nova York. Mas adoro o Brasil, é a minha terceira turnê. Vocês têm peito, ousadia. É demais vir para cá. Vou detonar nos shows.

BLACK ALIEN: O grupo Boogie Down Productions, de NY, fez a música "Jah Rulez", nos anos 80, para o disco "Ghetto music: the blue print of hip hop". Seu nome foi inspirado nela? Você é fã deles?
- Superfã. Boogie Down detona, são os pioneiros. Eles fizeram os moldes do hip hop, com o Big Daddy Kane, o Marley Marl, todos da Cold Chillin' Records. Meu nome não foi inspirado na música, é coincidência. Eu me chamo Jeffrey, sempre tive o apelido Ja.

THAÍDE: Quando você veio pela primeira vez ao país, perguntaram o que conhecia da nossa música e você respondeu: "Ricky Martin é brasileiro?" Ainda acha isso?
- Não, cara...

THAÍDE: De que maneira o rap americano pode contribuir com o brasileiro e vice-versa? Se é que você acha que a gente pode contribuir...
- O hip hop americano é a base. Tem caras que vieram do gueto, eram traficantes ferrados e hoje são milionários. Você tem que aprender com eles. Isso é um negócio, não é brincadeira. O que o hip hop brasileiro pode nos ensinar? Não sei, me digam vocês. Ponham os dois juntos na balança e vejam quem é quem. Sei que podemos fazer muito pelos brasileiros, mas eles têm que mudar de atitude. Têm que evoluir, sacou? Por isso o hip hop nos EUA manda. É um negócio de bilhões, com filmes, TV, roupas. Os MCs brasileiros têm que fazer igual. Eles não vão mudar o mundo ou o Brasil. Como trabalhar sem grana? Com fome?

RAPPIN' HOOD: Tem uma pá de gente aqui trabalhando na comunidade, tocando de graça. Por que cobrar? R$ 30 são muito para a Rocinha...
- Por acaso você faz show de graça o tempo todo? É disso que eu vivo. Como posso vir para cá tocar de graça? Se for algo do Unicef, da ONU, eu topo. Agora, preciso saber para onde está indo a grana, porque alguém sempre ganha. Prove-me para onde vai, especialmente aqui no Brasil, que eu faço.

Postado por Quinho Mete Bronca às 04:50 1 comentários
Marcadores: Entrevistas
Postagens mais recentes Postagens mais antigas Início
Assinar: Postagens (Atom) Marcadores
Baixar Cds (60)
Entrevistas (2)
Materias (3)
Videos e Imagens (4)
Visitantes

contador de visitas
MySpaces
Quinho Mete Bronca
Opanijé
Mc De Lima
Gasper
Qual a nota desse blog?
Quem sou eu

Quinho Mete Bronca
Quinho Mete Bronca
Visualizar meu perfil completo

RICK ROSS APRESENTA ONIBUS DA TOUR 2009 DEPOIS DE ESTREIA EM 1° LUGAR 'Deeper Than Rap' estréia no topo da Billboard



.....NYC




TARDE DE AUTOGRAFO



LOJA APRESENTANDO O ALBUM

quinta-feira, 7 de maio de 2009

SHOW DO GORDÃO DBS EM CURITIBA FOI UM SUCESSO CASA CHEIA PRA RECEBE O LOUKO DA OESTE









EM NOME DO NOSSO CLÃ AGRADECEMOS PELA PRESENÇA DE TODO FOI UM GRANDE SHOW A RAPPA CANTOU O CD NOVO DE PONTA A PONTA E AINDA CANTARO ANTIGO SUCESSO CLÃ DA VILA ~/ VIA NA FÉ EM BREVE MAIORES INFORMAÇÃO NESSE QUE FOI O PRIMEIRO SHOW DA TOUR O CLÃ PROSSEGUE FORA DE SÃO PAULO... APROXIMA CIDADE É UBERABA INGRESSO ESGOTANDO MAIS DE 10 CIDADE CONFIRMADO

DBS E A QUADRILHA E RZO VAI SER OUTRO GRANDE SUCESSO
Loading...

MANICOMIO WEAR FAMILIA

QUE SOMOS

Minha foto
CARACA CITY, SÃO PAULO, Brazil
MANICOMIO WEAR BRAÇO TEXTIL DA MANICOMIO GROUP